26/01/2011 - Comércio eletrônico: Olho no preço da concorrência

Rio - Em inglês, “Sieve” significa peneirar, separar o que importa do que não importa. Sieve é o nome de uma start-up carioca que ganhou o prêmio de melhor projeto de empreendedorismo na Campus Party, com um serviço de “inteligência competitiva” para pequenas e médias empresas de comércio eletrônico — um setor que arrecadou mais de R$ 10 bilhões ano passado. A expectativa é chegar a R$ 14 bilhões este ano. E, afinal, o que eles peneiram? Os preços da concorrência.

O coração da empresa de 12 funcionários que funciona na incubadora da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) — Projeto Gênesis — é um programa que vasculha sites na Internet e gera os catálogos com informações.
Uma loja online que venda um modelo de ar-condicionado, por exemplo, pode acessar pela Web um relatório que indica o preço do mesmo produto nos sites concorrentes, a posição de seu preço em relação aos demais (melhor, pior, na média), quanto precisaria baixar para ter o melhor preço do mercado, entre outras informações.
O robô atualmente vasculha 600 lojas no Brasil e adiciona cerca de 20 lojas por dia. A expectativa é chegar a 3 mil em março. “Estamos negociando com três das 10 maiores lojas do Brasil”, diz Felipe Salvani, de 27 anos, que começou a construir a ferramenta em 2008 como projeto de conclusão do curso que fez na área de Sistemas de Informação da PUC-Rio.

Fonte: O Dia

 


Voltar